quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

SONDAGEM POUCO ANIMADORA ...

Os resultados da sondagem que colocámos aqui neste espaço e que, por condicionalismos diversos, só agora nos é possível “esmiuçar”, revelam-nos, em primeira análise, um cenário pouco animador relativamente ao (des) conhecimento que (ainda) existe na nossa escola relativamente ao programa Eco-Escolas.
A questão que serviu de mote à participação era tão simples quanto esta: «Sabe em que consiste o programa Eco-Escolas?», pergunta á qual a maioria dos (poucos) participantes – 45% – responderam da seguinte forma: «já ouvi falar mas não sei o que é». A segunda opção mais votada foi: «conheço e penso que será uma mais valia para a escola», reunindo 36% da opinião dos votantes; seguida da resposta «sei o que é mas não vejo muito interesse no mesmo», com 13% das opiniões e, por último, «desconheço completamente».
Partindo do princípio que a grande maioria dos nossos visitantes são elementos da nossa comunidade escolar, concluímos que existe muito trabalho pela frente. Nada que nos assuste, acreditem!
A terminar, o Eco23Campanário deseja a todos votos de um Santo e Feliz Natal!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

AS NOSSAS DECORAÇÕES NATALÍCIAS

Por cada recanto – em cada esquina, em cada parede – os sinais da época natalícia já se fazem sentir pela nossa escola. Tudo (ou quase) na escola exala já o “aroma” natalício. Trabalhos de grande qualidade, alicerçados na enorme criatividade de alunos, funcionários e professores que emprestam à escola um colorido diferente e aquele calor natalício que, julgamos, merecem ser partilhados com quem quer que nos visite.
Mais, como se a qualidade dos trabalhos não fosse por si só atractivo suficiente, os seus autores brindaram-nos ainda com a particularidade de todos (ou quase) socorrerem-se da regra dos três “erres” na sua confecção – até porque os tempos de crise assim o obrigam – resultando numa autêntica mostra ecológica subordinada ao Natal.
O primeiro período está a terminar. Agora, para alunos, funcionários e professores aproxima-se um tempo de merecido repouso. Não nos queríamos retirar porém sem antes desejarmos a todos quantos visitam este nosso humilde espaço um excelente Natal e votos de um fantástico 2010. Que no próximo ano mais consciências despertem para a problemática da sustentabilidade do nosso planeta.


segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

CAMPANHA DE RECOLHA DE TINTEIROS E TONERS USADOS DA FUNDAÇÃO DO GIL

A Fundação do Gil encontra-se a promover, desde Fevereiro de 2004, uma Campanha de Recolha de Tinteiros e Toners usados (de impressoras e faxes de todos os tipos – originais e reciclados), junto de empresas, organismos públicos e outras entidades. Esta Campanha é uma forma de angariação de fundos para o desenvolvimento e alargamento dos seus projectos e actividades, pelo que, com a ajuda das entidades aderentes, a Fundação do Gil pode conseguir atingir mais facilmente os seus objectivos. De uma só vez estamos a ajudar mais crianças e jovens e também o ambiente. A nossa escola já aderiu a este projecto e, se quiser colaborar, basta entregar estes resíduos na Reprografia da escola.
Sabia que o plástico utilizado para fabricar os tinteiros demora cerca de 10 séculos a decompor-se e que para fabricar um tinteiro/cartucho são necessários, em média, entre dois a cinco litros de petróleo? Sabia ainda que foi estimado que em Portugal são colocados mensalmente no lixo cerca de 2 milhões de cartuchos/tinteiros vazios? Pense nisto…

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

CONCURSO «THIS IS IT», E O VENCEDOR É…

Tal como tínhamos informado, contrariamente ao inicialmente previsto não teremos um premiado mas antes três. Assim, depois de muita ponderação – alicerçada em critérios objectivos como o rigor científico, espírito crítico, originalidade e criatividade – decidimos premiar os seguintes alunos, conforme se segue:
  1. Carlos Xavier, 7.º C - 27 pontos (7 + 9 + 7 + 4);
  2. Maria Eugénia, 7.º C - 26 pontos (5 + 4 + 8 + 9);
  3. João Miguel, 7.º C - 19 pontos (5 + 4 + 5 + 5).

Solicitamos pois a estes alunos que se dirijam ao professor Coordenador do Programa Eco-Escolas da nossa escola, professor Renato Azevedo, por forma Remover formatação da selecçãoa poderem receber os respectivos prémios. A todos os que se interessaram por esta iniciativa o nosso obrigado pela vossa participação e, aos que agora não foram premiados (e a todos os outros), aconselhamos que permaneçam atentos ao blogue pois teremos mais concursos para breve.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

CIMEIRA ABRE COM FILME SOBRE CONSEQUÊNCIAS CATASTRÓFICAS DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS



Delegados de 192 países reunidos em Copenhaga até dia 18
A Cimeira de Copenhaga, sobre as alterações climáticas, iniciou-se hoje com milhares de delegados de 192 países a assistirem à projecção de um filme acerca das consequências catastróficas do aquecimento no planeta. O filme começa com uma menina que dorme numa cama confortável ao lado do seu urso de peluche branco e acorda no meio de um deserto e sob sol forte, antes de ser apanhada por vagas descontroladas. Aparecem, de seguida, o antigo arcebispo sul-africano Desmond Tutu e o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, a apelar à obtenção de um acordo ambicioso no decorrer da cimeira que permita evitar aquelas perspectivas. O presidente do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC, no acrónimo em inglês), prevê, perante a câmara, que o caos climático se traduzirá em "centenas de milhões de refugiados" em todo o mundo. A cimeira, que começou com 45 minutos de atraso relativamente à hora prevista, tem como objectivo limitar a subida da temperatura média no planeta Terra, o que passa pela redução acentuada das emissões de gases com efeito de estufa. Só recentemente países como EUA, China ou Índia mostraram alguns sinais de poderem comprometer-se no controlo das emissões de gases com efeito de estufa. A Cimeira de Copenhaga decorre até dia 18, estando prevista a participação de vários chefes de Estado e de Governo. São também esperados milhares de manifestantes nas ruas da Copenhaga que querem chamar a atenção para os efeitos das alterações climáticas.


In Diário de Notícias

domingo, 6 de dezembro de 2009

«UM BRINQUEDO POR UM SORRISO» JÁ CHEGOU À COMUNICAÇÃO SOCIAL

A nossa campanha de angariação de brinquedos, Um Brinquedo por um Sorriso, não tem passado despercebida a alguns órgãos de comunicação social regional, conforme se pode constatar aqui.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

CONCURSO «THIS IS IT» (ÚLTIMO DIA!)

Termina hoje o concurso "This is it". Se ainda quiseres participar tens apenas até às 23h59 para o fazeres, conforme "regulamento" que divulgámos aqui.
Lembramos que o autor do melhor comentário será premiado com um de três seguintes prémios, à escolha do próprio: um filme em DVD, um jogo para PlayStation 2 ou o álbum This is It de Michael Jackson (foto em baixo).
E porque a adesão a esta iniciativa, não sendo óptima, tem sido aceitável, decidimos premiar não um mas os três melhores comentários, da seguinte forma: o primeiro classificado será premiado conforme referido acima; o segundo classificado escolhe o seu prémio de entre os dois restantes e, finalmente, o terceiro classificado ficará com o prémio não escolhido pelo primeiro e segundo classificados.
Participa. A tua opinião conta!

CONTAGEM DECRESCENTE PARA A CIMEIRA DE COPENHAGA...






terça-feira, 1 de dezembro de 2009

CAMPANHA «UM BRINQUEDO POR UM SORRISO» JÁ FAZ SORRIR

A campanha de angariação de brinquedos que arrancou esta semana na nossa escola tem já um mérito que ninguém lhe pode retirar. É que um dos objectivos pretendidos com a realização da mesma - a obtenção de sorrisos - já está a ser alcançado, como atestam as imagens que publicamos. Os sorrisos ainda não são (para já) dos beneficiários da campanha mas antes dos alunos que para esta têm contribuído, ainda que, por vezes, a separação seja no mínimo... "dolorosa".


domingo, 29 de novembro de 2009

UM BRINQUEDO POR UM SORRISO

Campanha de recolha de brinquedos – troque aquele brinquedo que já não precisa por um Natal mais feliz de uma criança.

REDUZIR, RECICLAR e REUTILIZAR”. Porque na quadra natalícia este último “R” pode fazer a diferença, sobretudo entre os mais necessitados, a coordenação do programa Eco-Escolas decidiu colocar em marcha uma campanha de recolha de brinquedos, com o objectivo de promover a solidariedade em favor das crianças mais desfavorecidas.
Todas as colaborações devem ser feitas até ao dia 11 de Dezembro, junto da funcionária de serviço na Reprografia da escola. O brinquedo não tem que ser novo (por estrear) desde que se encontre em bom estado. O produto da campanha será entregue na Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa que distribuirá os brinquedos angariados por crianças necessitadas.

Não te esqueças de ajudar com brinquedos que já não uses. Mas atenção, NÃO OFEREÇAS BRINQUEDOS ESTRAGADOS!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

IRRESISTÍVEL (PRINCIPALMENTE PARA OS MENOS NOVOS)...

Sei que este "post" pouco tem a ver com a temática do blogue mas, confesso, não consegui resistir à tentação de partilhar com os nossos visitantes este vídeo em que os Marretas (que saudades!) interpretam o grande êxito dos Queen Bohemian Rhapsody. Simplesmente fantástico!

LAMPADINHA SENSIBILIZA PARA A POUPANÇA DE ENERGIA

Um dos projectos da turma A de 7.º ano, no âmbito da Área Curricular Não Disciplinar de Área de Projecto, é a realização de campanhas de sensibilização para a poupança de energia, a começar pela nossa escola.
Evitar situações, infelizmente muito comuns e recorrentes, de ver uma sala com as luzes ligadas sem ninguém no seu interior é o grande propósito da campanha que se iniciará na próxima semana com a colocação de autocolantes junto aos interruptores de todas as salas da escola.
Pretende-se com esta campanha reduzir os gastos mensais de electricidade para um valor inferior a 12 000 kWh / mês, objectivo cujo cumprimento (ou não) será facilmente verificável através da monitorização da facturação. Para isso criámos o lampadinha, personagem que, esperamos, ajudar-nos-á a passar a mensagem.
Solicitamos por isso a colaboração de todos. Juntos para poupar, juntos para ganhar! Quem ganha é o Ambiente e, em última instância, todos nós!


Os alunos do Grupo 4 de Área de Projecto do 7.º A

(Érico Rocha, Pedro Santos, Rui Gonçalves e Tiago Silva)

CONCURSO DE FOTOGRAFIA: «O MELHOR RESÍDUO, É O RESÍDUO NÃO PRODUZIDO»

Como participar?
Enviar para
ecoescolas@abae.pt uma fotografia digital relativa a uma actividade realizada, com uma legenda até 250 palavras, que explique a ligação entre a fotografia e o mote “O melhor resíduo é o resíduo não produzido”. Faça aqui o download da Ficha de Participação.
A quem se destina
Para todas as Eco-Escolas, Escolas JRA e Municípios com Eco-Escolas, que desenvolvem actividades relativas ao tema PREVENÇÃO DE RESÍDUOS, preferencialmente entre os dias 21 e 29 de Novembro. Cada entidade poderá concorrer apenas com o máximo de 2 fotografias.
Data:
A fotografia deverá ser enviada até 15 de Dezembro.
Qual o prémio?
  1. Publicação no site da ABAE
  2. Drives externas para as 10 melhores fotos

Avaliação:
O júri será constituído por elementos da Comissão Nacional Eco-Escolas e da ABAE. A qualidade da fotografia e a articulação com o tema proposto são os principais critérios de avaliação. Nota: deve estar implícita ou explicita a realização de uma actividade.

sábado, 14 de novembro de 2009

CONCURSO «THIS IS IT»

Tal como referimos no “post” anterior, a Cimeira de Copenhaga, cujo início está previsto para o próximo dia 7 de Dezembro, aproxima-se a passos largos. Por acreditarmos que esta conferência do clima das Nações Unidas constitui a derradeira hipótese de “emendarmos a mão” relativamente às políticas ambientais que vêm sendo adoptadas – com consequências catastróficas para o planeta – por toda a comunidade internacional (Portugal incluído), lançamos aqui um simples concurso que visa promover a auscultação das opiniões dos alunos da nossa escola relativamente a este importantíssimo certame.
Para participares no This is It, designação do concurso, basta seres aluno da Escola Cónego João Jacinto Gonçalves Andrade, acederes a este blogue e, na opção comentários, deixares a tua opinião (máximo de 500 caracteres) acerca da cimeira que decorrerá em Copenhaga, nomeadamente sobre expectativas, dificuldades ou questões chave que entendas devam ser discutidas naquela conferência internacional de Ambiente. Não te esqueças de te identificar com o teu nome (primeiro e último) e turma, pois só dessa forma a tua participação será considerada válida. Podes participar tantas vezes quantas quiseres.
Este concurso estará “aberto” até 7 de Dezembro, data a partir da qual será seleccionado o melhor comentário. O respectivo autor será premiado com um de três seguintes prémios, à escolha do próprio: um filme em DVD, um jogo para PlayStation 2 ou o álbum This is It de Michael Jackson (foto ao lado).
Participa. A tua opinião conta!

FALTA MENOS DE UM MÊS PARA A CIMEIRA DE COPENHAGA

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A MISTERIOSA DOENÇA DAS ABELHAS

Na província de Sechuan, Sul da China, as abelhas desapareceram nos anos 80, devido ao uso descontrolado de pesticidas. Para sobreviver, os agricultores têm de polinizar manualmente as pereiras. Os três milhões de flores polinizadas diariamente por uma colmeia transformaram-se num trabalho lento e árduo, de mão-de-obra intensiva. O que aconteceu na China pode ser o prenúncio do que irá suceder no resto do mundo. O problema é que não existem seres humanos suficientes para fazer o trabalho das abelhas e, assim, evitar o desaparecimento de grande parte da nossa cadeia alimentar. As abelhas estão a morrer e, desde 2006, a um ritmo muito mais elevado devido a uma doença chamada colony colapse disorder (CCD). Nos Estados Unidos, um terço das colmeias foram destruídas – 800 mil em 2007 e um milhão em 2008. Europa, Ásia, América Central e do Sul registam perdas idênticas. O assunto inspirou dois livros editados em Junho, na Inglaterra e Estados Unidos: A World Without Bees (Um Mundo Sem Abelhas), de Alison Benjamin e Brian McCallum, e Spring Without Bees: How Colony Colapse Disorder Has Endangered Our Food Supply (Primavera Sem Abelhas: Como a CCD Colocou em Risco o Abastecimento de Comida), de Michael Shacker. Desde que a CCD foi descoberta na Florida pelo apicultor David Hackenberg, pouco se concluiu sobre o que causa a doença; apenas que as abelhas saem da colmeia e não regressam, deixando a rainha, os ovos e as larvas à fome. Vírus mutantes, infecções por fungos produtores de toxinas, pesticidas, stresse nutricional, stress migratório (longas horas de transporte a que estão sujeitas as abelhas usadas comercialmente para colonizar culturas), tudo isto pode fragilizar o seu sistema imunitário, deixando-as mais vulneráveis às doenças – a CCD seria o equivalente da SIDA nas abelhas. Mesmo sem esta nova praga, o ritmo de declínio das populações apícolas já era preocupante. “Se o número de abelhas continuar a diminuir aos níveis documentados de 1989 a 1996, as abelhas deixarão de existir em 2035”, dizia May Berenbaum, investigadora da universidade de Illinois, citada pelo livro A World Without Bees, muito antes da praga ter sido descoberta. Alguns cientistas procuram resolver o problema através da manipulação genética. Mas será que uma superabelha resistente aos vírus, que combine a agressividade da abelha africana com a docilidade da abelha ocidental, capaz de resistir à doença sem deixar de ser domesticável, conseguirá evitar o desaparecimento das abelhas e, consequentemente, do ser humano?

"Se as abelhas desaparecerem da superfície da Terra, então o Homem só terá quatro anos de vida".
Albert Einstein

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

TRABALHOS ECO-ESCOLAS: CONSTRUÇÃO DE COMPOSTOR

Pese embora a Auditoria ambiental à nossa escola não estar ainda concluída – nesta fase decorrem os inquéritos a um grupo de alunos (seleccionados pelo método de amostragem estratificada) que possibilitarão, conjuntamente com as questões de observação directa, aferir o ponto da situação da comunidade escolar no que concerne a práticas, hábitos, conhecimentos e sensibilidade ecológicas – alguns dos projectos que pretendemos integrar no Plano de Acção deste ano já tiveram o seu início. De entre os diversos projectos em curso, que contamos divulgar neste blogue e no nosso painel Eco-Escolas, damos-vos conta esta semana de um projecto que está a ser executado pelos alunos Anderson Mendonza, José Bruno, Bruno Chaves e Leonardo Sousa que consiste na construção de um compostor.
A ideia partiu deste grupo de alunos do 7.º A, tendo por objectivo proceder ao tratamento de pelo menos alguns dos (muitos) resíduos orgânicos produzidos na escola (restos de fruta e legumes da cantina, ramagem e ervas do jardim, bem como algum papel) aderindo assim à pratica da compostagem que nos permitirá reciclar estes resíduos num excelente composto (húmus) que será posteriormente utilizado como fertilizante nos jardins da escola.
Fazendo jus ao lema “do velho se faz novo”, de salientar que todas as madeiras empregues (trazidas pelos alunos) são REUTILIZADAS e aquilo que até há bem pouco tempo não passava de velhos barrotes assume hoje – depois de muito serrar, aplainar, lixar, pintar, retocar, etc. etc. – a forma das diversas peças do compostor. Se dá muito trabalho? Concerteza que sim mas, garanto-vos, o entusiasmo e empenho evidenciados pelos alunos compensa tudo isso e muito mais.
Na próxima semana dar-vos-emos conta de um outro projecto em execução.

O QUE UM BLOGUE PODE FAZER PELA DIVULGAÇÃO DE UMA ESCOLA...

Pode-se até nem gostar deles - os blogues - já que nos últimos anos estas ferramentas proliferam na internet quase como cogumelos. Temos de reconhecer porém que estes novos instrumentos de informação ajudam (e de que maneira!) a cumprir um dos sete passos da metodologia do Programa Eco-Escolas: a divulgação. Disso, ninguém duvide! Se não vejamos este caso:

video

MADEIRA BIOSINTÉTICA JÁ É ALTERNATIVA À NATURAL

Resultado da reciclagem de diversos resíduos industriais como plástico, fibras vegetais ou animais, o produto da empresa substitui as madeiras naturais em diversos aspectos e possui alta tecnologia.
A madeira biosintética tem diversas vantagens como ser imune a pragas, resistente à humidade, não soltar farpas, não necessitar de fumigação, ter alta durabilidade e ser 100% reciclada. O produto é fabricado em perfis de 10, 15 e 28 centímetros de espessura por 2,5 m a 6 m de comprimento em três cores básicas, e ainda pode ser fabricado em qualquer cor que o cliente desejar, sob encomenda. A madeira atende a diversos segmentos da sociedade, como industriais, construção civil, arquitectura, exportação e paisagismo. Esta madeira biosintética pode ser empregue tanto em interiores como exteriores, no fabrico de uma infinidade de produtos como por exemplo paletes e caixas; decks de piscinas, revestimentos, pisos; na decoração e paisagismo, fabrico de espreguiçadeiras, mesas, bancos de jardins, brinquedos ou parques infantis. Fabricadas pela Madeira Biosintética desde 2006, na região metropolitana de Belo Horizonte, as madeiras biosintéticas são elaboradas com insumos considerados resíduos em outras indústrias, obtidos de contratos estabelecidos com empresas captadoras e indústrias geradoras de passivos.

Fonte: Primeira Página

sábado, 7 de novembro de 2009

THE ANIMALS SAVE THE PLANET

The Animals save the planet é um website desenvolvido pela TV Discovery Channel do qual constam diversos recursos educativos, designadamente pequenos “clips”, nos quais os animais assumem o papel de protagonistas no que concerne à educação para diversos temas relacionados com o Ambiente (energia, água, resíduos, etc.)
Uma forma diferente – com algum humor à mistura – de educar para a Eco-sustentabilidade, cujo único senão cinge-se ao facto de todos os conteúdos estarem descritos em Inglês.

Para visualizar clique sobre a imagem.

MONITORIZAÇÃO DOS CONSUMOS DE ÁGUA E ELECTRICIDADE

Viva! Somos alunos do 7.º A e, no âmbito da ACND de Área de Projecto, estamos a desenvolver um trabalho relacionado com os consumos de água e electricidade na nossa escola. Com este projecto pretendemos proceder à verificação e monitorização dos consumos destes recursos a fim de detectarmos eventuais problemas (lâmpadas fundidas ou intermitentes, luzes ligadas em espaços desocupados, torneiras ou autoclismos mal regulados ou a funcionar incorrectamente, etc.) ou situações que possam ser corrigidas por forma a optimizar os referidos consumos.
Consumos de 2009:

Nesse sentido, para além da realização de vistorias mensais a todos os espaços da escola onde tais problemas / situações possam ocorrer, pretendemos apostar na vertente da sensibilização através da elaboração de autocolantes, cartazes, apresentações, etc. que permitam sensibilizar toda a comunidade escolar para a necessidade de um consumo de água e energia mais sustentável.

Para este ano lectivo definimos como metas reduzir os gastos de água para um valor médio mensal inferior a 300 m3 / mês e os de electricidade para um valor inferior a 12 000 kWh / mês. Ajude-nos a alcançar as metas propostas. Todos os pequenos gestos podem fazer a diferença. Desde já agradecemos a colaboração de todos (e o Ambiente também!)


CURIOSIDADE: Sabia que o consumo mensal médio de electricidade na nossa escola é responsável pela emissão de quase 5000 kg de dióxido de carbono e que, durante este ano de 2009, já fomos responsáveis pela emissão de cerca de CINQUENTA TONELADAS deste poluente para a atmosfera?

Os alunos do Grupo 4 de Área de Projecto do 7.º A

(Érico Rocha, Pedro Santos, Rui Gonçalves e Tiago Silva)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

PORQUE SÓ TEMOS UMA CASA...

video

BEM-VINDO AO NOSSO BLOGUE ECO-ESCOLAS!


Bem-vindo ao blogue Eco-Escolas da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Cónego João Jacinto Gonçalves de Andrade, estabelecimento de ensino sito no Campanário (concelho da Ribeira Brava – Madeira).
Ainda que não sejamos oficialmente uma Eco-Escola este é já o segundo ano que desenvolvemos este projecto de educação ambiental, sempre com o objectivo de contribuir para a formação de jovens mais responsáveis e conscientes do dever que incumbe a cada um de nós no que se refere ao combate pela sustentabilidade do planeta.
Cientes da nossa responsabilidade enquanto educadores, esperamos poder contar com a colaboração de todos os elementos da comunidade escolar (e não só) na implementação de acções, medidas ou concretização de actividades que nos permitam, chegados ao final do ano lectivo, realizar um balanço positivo relativamente a este projecto. Esperamos de igual modo que esta ferramenta que agora nasce constitua um veículo privilegiado de divulgação de informação junto da comunidade escolar e local – um dos “sete passos” consignados na metodologia do programa Eco-Escolas.
Lembramos que todos os contributos são bem-vindos, portanto… até breve!